Corrupção nos condomínios – saiba como evitar

Compartilhe

Pin It

DA CORRUPÇÃO PROPRIAMENTE DITA

Lamentavelmente, a corrupção em condomínios ainda é comum, principalmente em prédios nas grandes capitais, destacadamente São Paulo, sendo que várias são as formas através das quais podem ocorrer as facilitações para a prática desse “câncer” chamado corrupção, a qual sempre leva o prejuízo ao morador.

Infelizmente, os condôminos também são os grandes culpados por deixarem isso acontecer. Não participam de assembleias, não fiscalizam suas administradoras, não formam comissões de auditoria, não colaboram para monitorar cotações, não se empenham para apresentarem outras alternativas de fornecedores, não acompanham os procedimentos e processos de aquisições, manutenções etc.

Um dos primeiros sintomas de fraude ou de administração suspeita é o aumento desproporcional das cotas condominiais ou o fato da “mensalidade” (taxa do condomínio) ser sistematicamente maior do que em condomínios semelhantes. Rateios constantes são outro péssimo indício. As irregularidades podem envolver a administradora, o síndico e funcionários, atuando isoladamente ou em conjunto. Geralmente e costumeiramente, em primeiro lugar vem o síndico e este conta com a administradora. O fato mais comum, onde podem entrar funcionários (geralmente os que procedem na área de cotações) é o superfaturamento de aquisições e de serviços, podendo haver também notas e recibos falsos (referente serviços não prestados) e saque ilegal ou irregular no fundo de reserva.

Assim, o envolvimento vai desde a administradora, zelador, alguns funcionários até, obviamente, o síndico, inclusive boa parte deles com certa cumplicidade. Há casos que não apenas comprometem as finanças com “cotações”, aquisições e similares, mas aqueles que são ainda piores, ou seja, os que comprometem isso e muito mais… Muitas administrações (administradoras, geralmente em conluio com o síndico, pois este tem o dever de fiscalizar a primeira), deixam de recolher até valores inerentes ao INSS e outros. Neste caso, por exemplo, os comprovantes podem ser falsificados e os condôminos sequer procedem ao levantamento junto aos bancos oficiais para saberem se a situação do condomínio é regular de fato e de direito, dentre tantas outras situações que levam uma coletividade ao risco extremo.

INSS é uma das modalidades de fraude. Cotações e aquisições, outra. Manutenções e contratos correlatos, outra. O superfaturamento, via de regra, é praxe entre o contratante e contratado, sendo altamente recomendável, para não dizer indispensável, que existam comissões para fiscalizarem todas essas “operações” realizadas, mas mesmo assim a ALTERNÂNCIA no “poder” deve acontecer para que não haja “vício” e costume na permanência dessas comissões. Tudo que se “perpetua” tem a probabilidade de se “estragar”, ou seja, de se corromper e é justamente por isso que a alternância no “poder”, no controle, na administração e na fiscalização é de rigor.

Os balancetes devem ser conferidos mensalmente e não anualmente, pois que os documentos, costumeiramente, são muitos e acabam por sobrecarregar até mesmo as “comissões”, se e quando existentes. Se houver dúvida, o livro-caixa deve ser acessado, os documentos conferidos um a um, os responsáveis convocados a prestarem os primeiros esclarecimentos. A participação é um fator que todos os condôminos devem levar em altíssima consideração.

Orçamentos também não devem ser feitos somente nos mesmos fornecedores. Recomenda-se que, ao menos de seis em seis meses, para produtos de uso contínuo, haja alternância em fornecedores que são consultados para fornecerem suas cotações. Confiar somente em cotações da administradora ou do “zelador” ou de quem quer que seja é outro defeito e isso certamente irá facilitar a ocorrência de irregularidades.

Outro fato. Na maioria das vezes, os condôminos somente ficam sabendo sobre algum serviço ao final do mesmo. As comissões, segundo informações “auriculares”, giram em torno de 5% a 15% sobre as cotações realizadas tanto por administradoras como por funcionários outros e até mesmo pelos síndicos em sua maioria (informações obtidas junto a alguns fornecedores que solicitaram omissão de seus dados). Dizem eles que as administradoras são as piores, pois têm seus fornecedores “cadastrados” e raramente alternam os mesmo, gerando uma espécie de “vício” e falta de alternativas. Isso vai encarecendo cada vez mais as cotações, uma vez que a falta de outras fontes acomoda os condomínios que já se acostumaram a pedir de suas administradoras as “3” cotações e não reparam que os fornecedores “nuca” mudam.

DA GESTÃO CONDOMINIAL RECOMENDADA

Pelos motivos acima sucintamente expostos, a gestão condominial vem sendo motivo de muita preocupação dos condôminos e alguns síndicos honestos de edifícios residenciais e comerciais. Problemas como a falta de registros de operações, apropriação indébita, superfaturamentos, favorecimento a fornecedores, recebimentos de comissão ou conluio, são preocupações contínuas de quem  não participa diretamente da gestão de seu condomínio.

Por isso, muitos condomínios vêm optando por síndicos estranhos ao edifício, que não são moradores, que têm remuneração profissional para tanto, que possuem equipe de trabalho montada por conta e responsabilidade próprias e que podem evitar justamente esses vícios que são ainda costumeiros nas gestões denominadas por “caseiras” e amadoras.

Esteja atento(a) aos movimentos internos do seu condomínio. Não seja mais uma vítima da falta de participação em assembleias e da constatação de constas. Afinal, o patrimônio do condomínio não é da administração, mas sim de todos os proprietários em conjunto.

E mais uma dica… Um síndico que conta com a participação e colaboração de todos, certamente estará desempenhando sua função de maneira muito mais incentivada e sentirá reconhecimento por parte daqueles que “administra”. Pense nisso!!!

Comentários serão respondidos, mas dúvidas (perguntas de qualquer natureza) somente mediante CONSULTORIA (v. razões em Ética e Créditos). Portanto, havendo dúvida ou mesmo se tiver algum problema relacionado a qualquer assunto inerente ao conteúdo do Blog para ser solucionado, o Condomínio do Futuro coloca à disposição sua CONSULTORIA (v. em “Consultor Fittipaldi” ou clique sobre a palavra CONSULTORIA retro destacada).

Se gostou da matéria, compartilhe no Facebook, Twitter, Google, Linkedin etc. e deixe seu comentário, pois sempre estamos abertos para a troca de informações.

Atenciosamente,

Fittipaldi – www.condominiodofuturo.com e noticias.band.uol.com.br/blogs

Facebook: http://www.facebook.com/CONDOMINIODOFUTURO

Twitter: @ClodsonFitti

Advogado inscrito na OAB/SP sob n.º 114.151, membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB/SP 1996/1997, Síndico “Profissional” certificado em agosto/2012, abril/2013 (Avançado) e setembro/2013 (incluindo "marketing" pessoal). Atuou desde 1991 como profissional autônomo, tanto no contencioso como prestando consultoria e assessorando pessoas físicas e jurídicas, incluídos condomínios, administradoras e síndicos. Conselheiro Consultivo (2008/2009), Consultor Jurídico (2009/2010), síndico eleito (2011/2012) e Conselheiro Consultivo (2013/2014) no Condomínio Mundo Apto Barra Funda (SP), composto por 3 torres e 324 unidades, com mais de 1.100 moradores e 20 funcionários. Consultoria, implantação de sistemas (Conectcon e Spontania) com validação jurídica e oficial e/ou similares. Palestrante pelo Blog www.CondominioDoFuturo.com e Instituto Pró-Síndico, bem como Instrutor de Cursos na esfera condominial neste último (Pró-Síndico). Promove destacadamente a PALESTRA “SEGURANÇA DIGITAL E PESSOAL” tanto para escolas como para condomínios. Caso seja assunto absolutamente sigiloso e urgente, os e-mails fittipaldi-c@uol.com.br e sindico.cf@condominiodofuturo.com estão à disposição (v. CONSULTORIA em “Consultor Fittipaldi”), bem como o celular (11) 99880-6666 pode ser acionado, mas somente para hipóteses sigilosas (contratação remunerada). Linkedin: http://www.linkedin.com/in/fittipaldicf e Twitter: @ClodsonFitti.

Compartilhe

Pin It

20 comentários

  1. Preciosa essa informação,não imagina o quanto me ajudou.Continue sempre assim,informando-nos e alertando-nos.Isso se faz necessário por demais.Deus o abençoe sempre.Grande abraço.

    • Boa tarde, Sra. Maria Luiza!

      Sempre com o máximo de provas possível, também sendo recomendável unir o maior número de condôminos dispostos a reunir esforços, socorrer-se do Poder Judiciário, contratando um bom escritório ou advogado(a), a fim de que uma ação de prestação de contas seja o caminho final para quem tem dúvidas, “receio” e não deseja seguir outro caminho, mas tem suspeitas plausíveis e passíveis de medidas.

      Forme uma “comissão” paralela, façam reuniões periódicas, documentem-se, elejam um bom profissional e ajam sem receio ou medo, mas dentro da legalidade.

      “MEDO” jamais a Sra. deve ter. Aliás, ninguém, pois síndicos e demais componentes estão administrando o patrimônio alheio, pertencente a todos os condôminos.

      Atenciosamente,

      Fittipaldi.

  2. Boa reportagem!! Ao mesmo tempo que me conforta, confirma tudo o que sempre pensei a respeito do assunto. Mais do que isso, vem me mostrar que o meu “agir” está correto.

  3. Estou como síndico do prédio onde moro desde set/12 em um mandato tampão até mai/13, em virtude da renúncia do síndico. No início do ano, tive a surpresa de receber um comunicado da terceirizada da portaria do prédio, informando que o valor subiria de R$ 11.580 para R$ 12.681 (9,42%), depois de muito negociar consegui deixar em R$ 11.700 (1,03%). Essa diferença é praticamente uma cota do condomínio mensal (R$ 1.031), o síndico não é isento. Imagino que a terceirizada não trabalhe sem lucro.
    Não sei se algo errado estava acontecendo, mas fica a dica para outros condomínios.
    Nosso próximo passo para reduzir despesas é a portaria própria. Alguém tem dicas e ideias?
    Obrigado,
    Rene Peter

    • Bom dia, Sr. Rene!

      Muito agradecemos sua participação.

      E, pelo fato do Sr. ter deixado a pergunta em aberto, não irei responder, mas sim deixar com que outras pessoas também participem.

      Caso não haja participação e o Sr. deseje, manifestarei a minha posição em particular, mas uma pequena dica vou deixar desde já… Quando assumi meu primeiro mandato como síndico amador, a primeira providência que adotei foi dizer que iria rescindir todos os contratos e solicitei o comparecimento pessoal de todos os contratados. Não vou dizer mais… Renegociamos, em menos de 45 dias, TODOS os contratos e TODOS eles foram reduzidos sem perda de qualidade.

      Detalhe 1: enviei e-mail para os contratados, sem exceção, informando que iria rescindir os contratos caso não houvesse renegociação imediata de todos os valores e condições. Detalhe 2: bom que seja elaborada ou acompanhada a redação por um advogado (eu fiz por conta pelo fato de ter exercido oficial e regularmente a advocacia por mais de 22 anos, dentre eles mais de 15 somente em renegociação de contratos para bancos).

      Atenciosamente,

      Fittipaldi.

  4. Bom dia Sr. Fittipaldi, tudo bem?

    Meu nome é Sandra, trabalho no Departamento Comercial na Empresa (editado pelo Blog).

    Após ver seus comentários sobre assuntos relacionados a condomínios, quero aproveitar para lhe apresentar nossa empresa.

    Para que a Sr. nos conheça melhor, somos uma Empresa com dez anos no mercado e especializados em Terceirização de Serviços como: Limpeza, Jardinagem, Portaria, Recepção, telefonistas, etc.

    A (Editado pelo Blog), tem como principal objetivo prestar um serviço de qualidade, que atenda toda a necessidade de nosso cliente isentando-o das responsabilidades operacionais, administrativas e fiscais, para que o mesmo possa dedicar-se inteiramente ao seu negócio.

    Quero lhe apresentar nossa empresa salientando nosso diferencial que é o pronto atendimento e a inovação do nosso trabalho. Temos a preocupação de manter nossos colaboradores com treinamentos atualizados, mantendo a qualidade do nosso serviço e tendo uma constante supervisão dos mesmos.

    Garantimos a redução dos custos do sua empresa/ condomínio, com o agendamento de Visita do nosso representante sem compromisso, verificando assim a real necessidade da quantidade de colaboradores em cada setor.

    Agradeço sua a atenção quanto a nossa apresentação, e por nos dar sempre ótimas informações em nosso segmento.

    Espero poder ter a oportunidade de trabalhar em seu condomínio algum dia.

    Muito sucesso e muita paz neste Ano que se inicia.

    Att;
    Sandra Nóbrega
    sandra@(editadopeloblog).com.br

    • Boa noite, Sra. Sandra!

      Agradeço o fornecimento de seus dados, mas por questões contratuais, não os posso divulgar sem que sejam respeitadas as condições que mantenho avençadas perante meus parceiros.

      Portanto, guardarei comigo, mas se houver interesse em divulgar via Blog, primeiramente necessitamos da documentação comprovando a idoneidade da empresa. Após, passamos para o departamento de mídia e, se aceitas as condições, podemos fazer a publicação conforme conveniência e/ou necessidade da parte interessada.

      Certo de sua compreensão, mais uma vez agradeço, primeiramente pela participação e, por segundo, pelo entendimento ao que sucintamente exposto acima.

      Atenciosamente,

      Fittipaldi.

      • Bom dia Sr. Fittipaldi.

        Entendo perfeitamente as condições citadas. Estou repassado para meus Gerentes e verificando esta possibilidade de estarmos com nossas informações em seu blog.

        Agradeço por sua pronta resposta.

        Atenciosamente,

        Sandra Nóbrega

        • Boa tarde, Sra. Sandra!

          Muito obrigado pelo seu retorno e participação reiterada. Agradeço, igualmente, seu entendimento. Veja, por exemplo, matéria hoje destacada em http://noticias.band.uol.com.br/. Não sei até que horário ficará em destaque, mas se for retirada ou substituída, poderá verificar em http://www.facebook.com/photo.php?fbid=469591633107515&set=a.393594617373884.96322.202168879849793&type=1&theater. E é por essa e outras razões que devemos seguir regras para publicações.

          Temos contratos perante terceiros, sendo que algumas de nossas matérias são escolhidas “aleatoriamente” e publicadas pela nossa parceira “Band”, onde há grande repercussão, sendo vedado a nós, por esse e outros motivos, permitir divulgação sem antes passar pelo nosso setor de mídia e análise de quem pretende anunciar.

          Devemos manter a credibilidade do Blog e, além de saber detalhes pormenorizados de quem pretende estabelecer vínculo conosco, passar por alguns outros “detalhes”, mas nada que a Sra. não consiga fazer após conversar com o seu pessoal (Gerentes).

          Sou eu que agradeço e desejo um ótimo final de semana.

          Atenciosamente,

          Fittipaldi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *