Quais os melhores tipos de interfones para condomínios?

Compartilhe

Pin It

Interfones para condomínios são equipamentos indispensáveis para facilitar a comunicação, seja entre condôminos e a portaria e vice-versa, ou mesmo entre os próprios condôminos.

O mercado, em geral, oferece 3 tipos principais de sistemas de interfones para condomínios, cada um com suas características, com funcionalidades diversas, que podem atender às necessidades de comunicação no condomínio.

Veja os principais sistemas de interfones para condomínios:

Interfone para condomínios com sistema analógico

Este tipo de interfone é também conhecido como porteiro coletivo. É um sistema montado sobre um conjunto de placas e botões, instalados na parte externa do edifício, sendo mais apropriado para condomínios com poucos apartamentos. Uma de suas principais desvantagens é que o sistema fica exposto, podendo ser facilmente vandalizado, com o agravante de ter peças caras, sendo alto o custo de manutenção e de reposição de peças.

Interfone para condomínios com sistema digital

Este modelo é uma central, semelhante ao PABX, usado em telefonia, que possui muitas funcionalidades, como chamada em espera, ligações entre apartamentos, controle de acesso e conferência, entre outros. O sistema digital tem um custo de instalação e de equipamentos cerca de 30% superior ao sistema analógico, porém esse custo é compensado por suas funcionalidades, pela proteção da central e ainda pelo baixo custo de manutenção.

Interfone para condomínios sem fio

O sistema de interfone sem fio possui praticamente as mesmas características funcionais do sistema digital, trazendo mais facilidade para a instalação, que não vai exigir o custo de fios, tubulações e outros acessórios necessários para um instalação normal. Embora possua essas vantagens, é necessário alguns cuidados, uma vez que os sistemas são adaptados, trabalhando com ondas de rádio que podem gerar interferências com outros sistemas similares ou podendo causar falhas na comunicação, com a possibilidade de perda de privacidade. O custo de instalação, em alguns casos, pode não compensar pelo alto preço dos equipamentos.

O condomínio deve escolher o sistema que mais lhe atenda

Entre os sistemas, no final é o condomínio quem deve escolher o melhor sistema para instalação, devendo apenas ser alertado que o sistema analógico está praticamente sendo eliminado do mercado.

É preciso analisar a relação custo/benefício, a manutenção e a durabilidade dos equipamentos, evitando também a compra de marcas desconhecidas ou importadas, uma vez que todo e qualquer sistema inevitavelmente precisa de manutenção. Uma marca importada pode não oferecer assistência técnica no Brasil e, embora seu custo possa ser menor, poderá se tornar inoperável após algum tempo de utilização.

O mercado brasileiro possui algumas marcas reconhecidas, como Intelbrás, Maxcom, HDL, Amelco e Thevear, que já são respeitadas por sua assistência técnica, que é proporcionada de maneira permanente, com reposição de peças originais, garantindo o funcionamento e a manutenção do sistema instalado.

O condomínio deve buscar uma empresa idônea para instalar os interfones para condomínios, garantindo assim que haja atendimento em casos de necessidade e o fornecimento de garantia do equipamento.

Fonte: O Hub

 

*Rodrigo Karpat é advogado especialista em Direito Imobiliário, consultor em condomínios e sócio do Karpat Sociedade de Advogados. Advogado militante na área cível há mais de 10 anos, referência em direito imobiliário e questões condominiais. É frequentemente solicitado entre os meios jornalísticos e ministra palestras por todo o Brasil.

Compartilhe

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *